quarta-feira, 28 de novembro de 2007

8.H# Eu já vi

…o oitavo episódio da série Dr. House,
depois da decepção do anterior, o House e eu voltamos às boas.

Apesar de ser difícil, para os comuns dos mortais, seguir os diagnósticos diferenciais propostos ao longo do episódio, o humor neste está simplesmente divinal.

Os pupilos terão de roubar a roupa interior da Cutty para não serem demitidos e aquele que conseguir a tanga da fox lady, terá o poder de escolher um nome para ser afastado,… o final torna-se inesperado e aquilo que era tomado como certo revela-se o oposto.

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Capacete Refrigerador

Apesar de todo o conhecimento e técnicas avançadas em matéria de obstetrícia, ainda não existe nenhuma que preveja se existirão complicações no decorrer de um parto.

Infelizmente durante o parto, alguns bebés ainda são privados de oxigénio, por força das circunstâncias, contudo, Marianne Thoresen desenvolveu um capacete refrigerador, este capacete peculiar impede que o cérebro, privado de oxigénio, inche e cause lesões cerebrais irreversíveis.

A primeira bebé a experimenta-lo, Olivia Templar, apresentou funções cerebrais normais, depois de ter sido submetida ao uso deste brilhante capacete.

Mas agora só recebemos ditadores?

Vêm mais um a Lisboa, deve ser para trocar impressões sobre novas formas de opressão,
ah, e corrupção também!

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

7.H# Eu já vi

Já vi o sétimo episódio da série Dr. House e confesso que não gostei!

O episódio, pareceu-me um pouco confuso, e sem grande sumo.

Um apontamento apenas, a deformação craniana do paciente parecia mesmo real.

Parabéns à realização.

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Encontro de ditadores!

Parece que este Sr. vem a Lisboa,

Para um encontro com diatadores populistas, mas não com fascistas!

Encontraram o Culpado!


Será este o responsável, pela decisão arrogante e prepotente dos nossos governantes, sim este malvado é que fará, com que o novo Aeroporto de Lisboa tenha mesmo de ser construído na OTA, ainda que esse opção exija muito mais esforço da parte dos Portugueses, pelo menos não poderemos ser culpados pela ameaça de extinção destas aves que passam o Inverno, na Europa Ocidental.

Bichinhos maus! Com tanto sitio onde pousar e vão logo para Alcochete.
Malandrecos! Maçaricos! De-bico-direito, mas maçaricos.

Talvez lá para 2037

Na sociedade de hoje, tipicamente só premiamos as pessoas bem sucedidas, mas nunca aquelas que se esforçam e tentam, mesmo que falhem.

É para mim lógico que deve haver uma distinção entre os que conseguem e os que não conseguem, mas isso não implica que não se premeie aqueles que apesar de não terem conseguido também tentaram, acredito mesmo que só assim, a nossa sociedade deixará de ser tão competitiva e se preocupará com o que realmente interessa, o progresso.

Esperemos que no futuro, talvez lá para 2037, fiquemos felizes com as falhas dos outros, afinal elas são os sinais vivos dos seus esforços e das suas tentativas.

À primeira vista, esta última frase pode parecer um pouco bizarra, mas quem conhece o filme “Meet the Robison” da Disney, certamente se lembrará da frase “keep moving forward”.


As histórias da Disney tem sempre uma lição importante, uma moral, são quase como fábulas, e este filme não é excepção, de uma forma muito divertida, o "Meet the Robinson", diz-nos que não devemos ter medo de errar, pois o importante é tentarmos, afinal é do erro que nasce a solução, e é acreditando em nós próprios depois de variadíssimas tentativas que conseguiremos alcançar o tão almejado sucesso!

Andava toda a gente,

...com medo de que o Inverno não chegava, agora olha, apanhem com a molha!


Veio, e com a força toda, é que nem deu nenhuma ameaça.
Instalou o caos, no trânsito, nas ruas,nas casas,
ele é acidentes, ele é inundações,

Se o Inverno me ouvisse, eu pedia-lhe frio em vez de chuva!


sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Um querido

Há dias de muito trabalho, cansativos, terríveis a valer,
temos de aturar o mal humor de todos com a maior das paciências.

Mas depois à um querido que me manda um e-mail a dizer:
"Posso fazer uma pergunta?
Já é sexta-feira?"
e fazia-se companhanhar desta foto!


Obrigada Paizinho!

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Faltam 39 dias para o Natal

Estamos a meio de Novembro, faltam precisamente quinze dias para começar o mês do Natal, trinta e nove dias para o próprio do dia, e eu, contrariamente a todos os outros anos tenho dois presentes de Natal comprados.

Noto um certo desconforto geral relativamente ao tema comprar, que na prática se verifica simplesmente com um andar no centro comercial, que a esta altura do campeonato está vazio e as lojas cheias de artigos, que em anos anteriores facilmente esgotavam logo no fim de Outubro.

Tenho as ideias arrumadas quanto a quem e o quê vou dar neste Natal, mas principalmente tenho um orçamento muito bem estruturado que este ano, tal como em todos os outros anos, não vai permitir desvios. O que tenho de contar é que os outros anos o orçamento de Natal era bastante mais farto, mas simplesmente neste momento sinto que não estamos em tempo de fazer grandes folias, até porque isso nem se justificaria.

Cá para casa temos tudo, móveis, candeeiros, cortinados, tapetes, quadros, electrodomésticos, todos os cantos estão preenchidos. Se falarmos em tecnologia é tudo de última geração, computador, televisão, PDA.

Podíamos falar em coisas pessoais, como jóias, relógios, perfumes, roupa. Será que se justifica? O que temos não é suficiente? Obviamente que não sou desprendida ao ponto de dizer que não gostava de receber nada este Natal, mas não sou exigente. Qualquer miminho para mim é bom, muito bom.

Este ano estava a pensar viver o Natal de forma diferente, vive-lo de forma mais valiosa, que me preenchesse lacunas esquecidas durante todo o ano, preocupar-me com coisas mais importantes do que com a obrigação dos presentes, os verdadeiros não podem ser escolhidos nem dados com esse sentimento, obrigação.

Este domingo, vou certamente completar a minha lista de Natal, e comprar o que me falta, para depois ter todo o tempo do mundo, para me dedicar ao que verdadeiramente é Natal.

Às vezes

Apetecia-me dizer, tal qual sua Magestade el Rey Don Juan Carlos:

"Por que nó te callas?"

Para dizer a verdade, o que eu gostava mesmo, era de poder dizer a umas quantas pessoas, sem qualquer problema com as consequências "Biquinho calado! Shiuuu!"

Mas, em certas circunstâncias, o "Por que nó te callas?", já me servia para lavar a alma!

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Tempos Medievais ou Actuais

O governo vai privatizar as estradas Portuguesas, o objectivo deste executivo é conseguir reduzir o buraco do défice.

Voltamos assim aos tempos mediáveis, com pedidos de passagens a quem controla as vias de comunicação.

Só espero que não se lembrem agora de todo o modelo feudal, e o resolvam implementar, ou melhor oficializar, porque se analisarmos bem as coisas, o que não faltam por ai são relações servo-contratuais, ora vejamos, se relacionarmos os tributos e impostos da época praticamente todos se aplicam à actualidade, por exemplo:

  • A Corvéia que significa exigir, na idade média correspondia ao trabalho gratuito que os vassalos teriam de prestar ao seu senhor, funcionava como um imposto em género, hoje em dia quem já não sentiu que está a trabalhar a mais, que não é devidamente recompensado no seu trabalho?
  • A Talha correspondia na idade média, à entrega de parte da produção ao nobre feudal de forma a financiar a protecção do feudo, e nos dias de hoje não continuamos nós a entregar à cabeça uma grande parte do nosso ordenado? Só que essa talhada não financia somente a defesa.
  • A Banalidade à uns séculos atrás funcionava como um imposto para o proveito dos bens do Sr. feudal, como as ferramentas agrícolas a utilizar no trabalho das terras do senhor, hoje em dia mantém-se este imposto, só muda o nome, ora vejam lá se o IVA não se encaixa aqui perfeitamente? Claramente que com a evolução das sociedade também evoluiu no imposto, agora pagam-se todos os bens.

  • A Capitalização da idade média foi transformada nos dias de hoje num imposto com um nome muito pomposo, imposto sobre o rendimento das pessoas singulares, nos tempos bárbaros era pago por cada membro da família, hoje em dia para ser mais prático é pago por agregado familiar.
Mas podemos ir mais longe, e relacionar a sociedade feudal e Portuguesa, ora então à 10 séculos atrás verificava-se a existência de três grandes grupos Clero, Nobreza e Camponeses, nos tempos de hoje o Clero foi à vida, mas mantemos os Nobres e os Pobres.

A Nobreza vivia à conta do trabalho do Camponeses, mas também se arriscava na luta pela defesa das terras, prestavam juramento ao Rei, e a vassalagem era para a vida, eram raros os casos de deslealdade e os que apareciam eram exterminados como se de ervas daninhas se tratassem, nos dias que correm temos de que admitir que muita coisa mudou, afinal lealdade é palavra que praticamente não faz parte do dicionário da sociedade Portuguesa e Rei também já não temos.

Bom, é melhor ficar por aqui, porque tal como no tempo do Portugal Medieval, quem não está comigo está contra mim… e eu tenho uma vidinha para governar… não quero cá decapitação ou melhor penalização!

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Um Trevo na Tromba de um Elefante!

Há muitos, muito anos, ainda era eu uma criança, e Alfragide era uma zona sossegadinha e sem confusões.

Depois de muitas contruções, Alfragide, passou a ter uma grande loja de produtos alimentares, uma grande loja de desporto e uma grande loja de móveis.

No ano passado um grupo internacional, resolveu dar um passo de elefante e criar o primeiro centro comercial de Alfragide, contudo quis faze-lo no sitio onde já tinha um hipermercado, mas não quis fechar esse hipermercado para obras.

Contingências do Mercado!

Pois bem, feliz ou infelizmente, as pessoas não deixaram de lá ir e continuaram a comprar ali não obstante as constantes mudanças logísticas de entrada e arrumação de produtos à medida que as obras iam evoluindo.

Os clientes queixavam-se da não respirabilidade do ar e de ficarem com as mãozinhas negras só de retirarem os produtos das prateleiras, das constantes quedas de águas no parque de estacionamento.

E um dia, que por sinal foi o de ontem, a ASAE pôs um fim na situação, e fechou o Hipermercado de Alfragide, por causa da proliferação de pó sobre alimentos e produtos, pena é que tenha sido tarde demais!

Foi tarde, mas foi fácil, tão facil como encontrar:


1,2,3,4.PB# Eu já vi

Há alguns post's atrás tinha dito neste blog que era espectadora assídua da série Prison Break,
deparei-me com uma primeira temporada brilhante, uma segunda muito boa, e aguardava ansiosamente por ver como seria a terceira.

Quando comecei a ver a terceira temporada, não fiz aqui nenhum comentário, não lancei nenhuma discussão, simplesmente porque nem eu sabia muito bem o que pensar.

Agora que já vi os primeiros quatro episódios, tenho a certeza que esta série continua a prender qualquer um ao ecrã, apesar de ter atingido proporções completamente irreais.

6.H# Eu já vi

…o sexto episódio da quarta temporada da série Dr. House.

Neste capitulo, uma paciente que entra no hospital com uma insolação recebe tratamento para uma carrada de doenças que não tem, tudo porque um dos pupilos de House lhe provoca sintomas de modo a que o diagnóstico da paciente leva a uma doença rara nos países desenvolvidos mas muito frequente nos países Africanos.

Apesar de um objectivo nobre, levar a comunidade médica a investigar a aplicação da vitamina C na cura de uma doença que dizima dezenas em Africa, esta acção ultrapassou todos os limites da ética médica e nem o Dr. House compactuará com ela.

Ah! No entretanto disto tudo House vai numa missão secreta da CIA!


sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Puxelha ou Apertelha?

O Zé Mourinho, foi levar os seus filhos à escola que agora frequentam o Colégio Saint Peter's School em Palmela (aposto que um dia o meu cunhado, que mora para essas bandas, vai pôr lá as filhas, é que o nome da escola tem assim, um ar, de chique), e ao que parece deu um puxão de orelhas, e um de cabelo, a um aluno de 12 anos que chamou uns quantos nomes menos bonitos ao próprio e a sua filha de 11 anos.

A directora da escola disse que: "José Mourinho se deu conta imediatamente de que tinha exagerado e admitiu estar equivocado. Apresentou duas cartas com desculpas, uma para escola, outra para os pais do agredido. As cartas foram aceitas e o incidente encerrado".

Enfim, incidentes!!!

É melhor que fiquem assim, afinal o miudo é filho não se sabe de quem e o Zé Mourinho é o Zé Mourinho.

Acabadinha de ler no blog o Lobi-do-Chá!

Ri, mas depois chorei...
Caramba afinal o nosso governo é bem capaz de ser assim!


Conversa entre a Ministra da Educação e o Primeiro-ministro*

- Senhor Primeiro-ministro, gostava de discutir consigo o Estatuto da Escola.
- Ai sim? Muito bem…
- Então começava por lhe explicar o que é isto de “escola”.
- Agradecia…
- Ora, trata-se de um edifício com corredores, mesas e cadeiras, quadros e professores. Serve para as pessoas aprenderem coisas.
- Que tipo de coisas?
- Coisas em geral. Geografia, Matemática, Português, Inglês…
- Matem… quê?
- Matemática! Números... Somar...
- Sim, somar... 1+1 = 2; 2+2 = 3…
- Não! 2+2 = 4…
- Quatro?
- Sim…
- Está bem. A Senhora Ministra aceita uns amendoins?
- Não, Senhor Primeiro-ministro, muito obrigado…
- E uns Sugus?
- Também não, muito obrigado…
- Vá lá, não faça cerimónia. Daqui a um bocado chega o Silva Pereira com as torradas e o leite e não nos deixa comer mais nada. Diz que estas porcarias estragam os dentes…
- E é verdade, Senhor Primeiro-ministro, o Senhor até podia propor no próximo Orçamento um plano de saúde oral.
- Oral? Quem nos dera ter um plano semanal! Temos listas de espera de seis meses, Senhora Ministra…
- Eu disse oral, de boca…
- Sugere que eu minta aos portugueses?
- Como assim, senhor Primeiro-ministro?
- Não se faça de sonsa, sua sonsa. Está a dizer que eu devo apresentar um plano de saúde oral, de boca… Como quem diz “apresentas, não assumes nada e sais bem na fotografia”… Saiba que eu sou incapaz de mentir aos portugueses. Menti uma vez ou duas, nunca mais!
- Pelos vistos não sabe mesmo contar…
- Como disse?
- Tenho aqui uma fofoca para lhe contar…
- Ai tem? Então?
- O Ministro dos Negócios Estrangeiros prometeu que só cortava a barba no dia em que a economia portuguesa recuperar…
- A sério?
- Palavra!
- Até acho boa ideia. Eu não gostava nada de o ver sem barba...
- Eu também não...
*Ficção

Aviso com alguns dias de antecedência.

No dia 30 de Novembro, os trabalhadores da função pública sindicalizados na UGT e CGTP, estarão em protesto contra as medidas do actual governo, sobre forma de greve geral.

Parece que esta greve é inevitável porque o governo mantém "indisponibilidade negocial, ataque aos pensionistas e o não aumenta das pensões na Administração Pública", e também porque se verifica uma significativa "perda de poder de compra" dos funcionários públicos.

Agora pergunto eu, mas as razões para a inevitável greve são de hoje?
É que os ataques aos direitos adquiridos de todos os Portugueses, com excepção do governo e amigos do governo, começaram assim que o vilão se viu com o bastão na mão!

5.H# Eu já vi

No quinto episódio da quarta temporada da série Dr. House, aparecerá um doente com um sintoma muito especial, porque para além da sua perda de memória, reflete a personalidade da pessoa dominante como se de um espelho se tratasse.
Contudo a estória deste paciente acaba por ser secundária já que neste episódio a trama se vai centrar na luta entre Cutty, Foreman e obviamente House, pelo controlo total das acções do próprio House.

As apostas sobre qual será o candidato demitido, envolvem quase todos os funcionários do hospital, e também muito dinheiro.


House e Chase dividem pelos dois o dinheiro das apostas, uma vez que ao não eliminar nenhum candidato, ninguém ganhou!


Depois de descoberta a cura do paciente, e antes de lhe ministrarem o tratamento necessário, Cutty e House concordam em testar qual dos dois tinha personalidade dominante.

Escusado será dizer quem ganhou!

quinta-feira, 8 de novembro de 2007

Parece que...

O governo Português finalmente pôs a mão na consciência e orçamentou para 2008 a introdução no sistema nacional de vacinação, da vacina do colo do útero.

Apesar de ter sido tarde e a más horas, finalmente as jovens Portuguesas poderão ter acesso a uma vacina que lhe poderá salvar a vida no futuro.

Em Portugal, morre todos os dias uma mulher devido ao cancro do colo do útero, esta doença pode ser envitada em cerca de 70% com a vacina existente no mercado.

Tenho pena de viver num país em que as prioridades infelizmente continuam defazadas da realidade, já que as vacinas em questão só serão gratuitas para jovens dos 12 aos 16 anos, mas a interrupção voluntária da gravidez é totalmente comparticipada pelo estado para todas as mulheres.

terça-feira, 6 de novembro de 2007

Pela Boca... Morre o Peixe!

Muitas vezes expressei a minha revolta contra as pessoas que ficam sistematicamente até mais tarde no trabalho, sempre achei que essas pessoas eram as grandes responsáveis pelo rumo escravatório que este país estava a levar.

Eu própria fiquei algumas vezes no trabalho depois da hora, de modo a terminar temas importantes e com deadlines muito curtos, mas ficava de forma esporádica, digo ficava porque neste momento a situação tornou-se recorrente e passaram a contar-se o número de vezes que saio às 18h00, conforme o horário.

Sei que pode parecer ridículo este desabafo, mas eu não posso mesmo desligar o computador e ir para casa às 18h00 com coisas que têm porque têm de ficar prontas, por fazer. Ou melhor eu poder posso, mas arrisco-me a daqui a uns tempos ser completamente empurrada para a porta de saída. Eu já me arrisco um bom bocado a receber esse presente porque quando não é "urgente urgentíssimo", saio lá para às 19h00… quanto mais quando é "urgente urgentíssimo".

Este sentimento é generalizado, muitas pessoas minhas conhecidas e amigas, sentem o mesmo… mas então porque é que ninguém faz absolutamente nada?

Para mim, trata-se de um problema de coesão, ou seja, se todos fossemos coesos e disséssemos NÃO, sem medo de algum chico esperto roer a corda, as coisas corriam de outra maneira, mas assim, com alguns a fazerem ámen ao chão aos chefes e directores, é impossível construir uma sociedade mais justa com um mercado de trabalho mais estável e sem explorações.

sábado, 3 de novembro de 2007

4.H# Eu já vi


Depois de algum tempo sem ser brindada com os fantásticos episódios Dr. House, eis que tenho novidades para-vos dar.

Neste quarto episódio, tal como vos tinha dito, o tema do sobre natural estará bem presente, quando chega uma doente que diz ver pessoas que já morreram.

Com todo o cepticismo que lhe é conhecido obviamente que Dr. House não acredita nessa hipótese e não descansa enquanto não descobrir o que tem a doente.

Entretanto a luta pela vaga na equipe de Dr. House continua e estes pupilos chegam mesmo a desenterrar uma pessoa morta a fim de se manterem na equipa.

Este episódio não foi excepção e já só temos seis candidatos para 3 vagas.

Aguardo pelo próximo episódio tão ansiosamente quanto vocês!

sexta-feira, 2 de novembro de 2007

Vem ai



A série Jericho da CBS assenta sobre um suposto ataque terrorista aos EUA, que mais tarde, com o desenrolar da estória percebe-se que se trata de uma luta interna pela presidência dos EUA, ao longo dos 22 episódios, é dado enfoque à condição humana por si só e a tudo o que o ser humano é capaz de fazer para sobreviver.


Jericho, é uma pequena cidade no interior do Kansas, que durante a explosão de várias bombas nucleares nos EUA se vê isolada do mundo, exposta a mercenários, à falta de alimentos, de combustível, à desordem, à possível aniquilação pela cidade vizinha New Bearn. O mundo tal como era conhecido, deixou de existir, e parece que a idade média retornou ao século XXI, com a sobrevivência do mais forte e o salve-se quem puder.

Esta série envolve obviamente, estórias secundárias, drama, romance, acção, protagonizada por actores não muito conhecidos, mas que para mim se tornaram uma revelação, chegando mesmo a ser premiada


Inicialmente a série despertou interesse no público, mas a interrupção na transmissão da mesma pela estação televisiva, provocou um certo descontentamento fazendo baixar as audiências, chegando mesmo a CBS a ponderar a hipótese de a cancelar.

Os fãs conseguiram trazer Jericho de volta aos ecrãs, com petições e envio de toneladas de amendoins pelo site Nuts Online à directora da estação televisiva como forma de protesto, assim, a segunda temporada de Jericho está de volta aos ecrãs!

Aguardem-na!

Eu mal posso esperar!

Pimba ou não!


Tenho que confessar que gosto de ver aos domingos o Família Super Star!

Acho piada, ao Júri, que criou deveras uma grande empatia com todos.
... aos concorrentes,
Mas sobretudo, acho imensa graça à Barbara Guimarães, com o seu
passito de dança, 2,1,1,2 e o seu sorriso enternecedor.

designed by Charming Templates