domingo, 25 de abril de 2010

Faço, não faço, faço não faço?

Nada mais oportuno que o dia das revoluções Portuguesas, para reflectir sobre a censura que impus a mim própria.

Este blog não fala em nomes, apenas conta histórias pessoais, se alguém o ler e servir a carapuça, pois, paciência temos pena.

Afinal devo mante-lo assim, ou coloco-o free na blogoesfera?!!!?!???

Este dilema, esta a deixar-me ainda mais confusa, por um lado não posso deixar que nada interfira com o meu trabalho, e sabendo que me andam a espionar, não devo correr riscos.

Mas com posts como este é quase como caminhar para a forca se os mantiver aberto a qualquer leitor.

É um assumir, anonimamente, tudo o que penso, tudo o que sinto, mas que à partida pode ser provado com programas de computador que os uploads foram feitos por mim, durante as horas de trabalho.

Mesmo que eu deixe de aceder ao blog no escritório, e este tiver aberto, podem provar que até à data x, era no meu IP de trabalho que eram publicados os textos.

Ainda assim, fico com muita vontade de correr esses riscos.

Não sei o que faça!

quinta-feira, 22 de abril de 2010

5+2

Ainda não estou refeita do choque profissional que levei, e custa-me muitíssimo, não manter o meu blog aberto, o meu blog é parte de mim, é onde escrevo devaneios, pensamentos pessoais, onde dou trolitada nos políticos e mafiosos, onde sonho e viajo, o meu blog sou eu.

Não só não o mantenho aberto, como me culpo por não conseguir solucionar o caso.É impossível trocar de chefe, abrir-lhe a mentalidade, ou melhorar a sua conduta.

A única solução que encontro é mesmo a de trocar de trabalho, tenho procurado continuamente, enviado curriculuns e participado de entrevistas, mas não tenho obtido os resultados pretendidos.

Tenho ainda uma outra solução, esta muito mais eficaz, acertar em 5 números e depois mais 2 e , mando tudo ali abaixo de Braga e vou para casa mimar o meu filhote.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Estádio de Al-Kahder, na Palestina, foi financiado por Portugal. Viva ao Zé Trocas-te!!!

"O novo estádio da cidade de Al-Kahder, nos arredores de Belém, na Cisjordânia, cuja construção foi financiada por Portugal, através do Instituto Português de Cooperação para o Desenvolvimento, vai ser inaugurado na próxima segunda-feira.

O recinto custou dois milhões de tem capacidade para seis mil espectadores, é certificado pela FIFA e dispõe de piso sintético e iluminação. A cerimónia de inauguração abrirá com uma marcha de escuteiros locais, conduzindo as bandeiras de Portugal e da Palestina, e a execução dos respectivos hinos nacionais.

Já fechámos urgências, maternidades, centros de saúde e escolas primárias, mas oferecemos um estádio à Palestina.

Devíamos fechar o Hospital de Santa Maria e oferecer um pavilhão multiusos ao Afeganistão. A seguir fechávamos a cidade universitária e oferecíamos um complexo olímpico (também com estádio) à Somália e por último fechávamos a Assembleia da República e oferecíamos os nossos políticos aos crocodilos do Nilo."



Esta pérola chegou-me via mail e não podia ser mais verdade!!!


O Nosso Zé Trocas-te tem uma moral do caraças
para pedir sacrifícios aos Portugueses

segunda-feira, 19 de abril de 2010

"Se me levanto de manhã e não venho trabalhar, fico doente"

Eu compreendo que existam muitas pessoas que gostam do seu trabalho, e que o façam com gosto, mas caramba ninguém é mazoquista e se um dia se levantar de manhã e não for trabalhar "olha que pena estou de férias".

É que há parolos para tudo ainda agora ao chegar ao escritório ouço esta pérola:

"Se me levanto de manhã e não venho trabalhar, fico doente"

Ora Santa Paciência, não há nada de mais interessante para fazer, não???

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Mas quem é que é Vaklav Klaus para questionar Portugal?

Que o nosso pais é uma grande #$&%$# já todos os Portugueses sabiam, alguns não admitem, mas inconscientemente todos sabem.

Apesar do pior cego ser aquele que não quer ver, existem ainda aqueles que nunca se cansam de o dizer, mas isso sou eu e outros tanto Portugueses que querem ver o País a andar, a economia a crescer, a qualificação da mão de obra a aumentar, a justiça a funcionar, a saúde com qualidade e por ai a fora.

Agora quem é que pensa que é o Sr. Vaklav Klaus para criticar Portugal e os Portugueses, e o nosso défice e a nossa politica e cultura? Acha que ser presidente de uma Republica emergente como a Checa, criada em 1993 após anos de conflito. Se não gosta do modelo Capitalista, faça-nos um favor, desagregue-se da UE, agora não insulte Portugal e os Portugueses.

Pela República Checa ao que parece não existem culturas de chá, ofendem e massacram os seus convidados oficiais e fica-se por isso mesmo.

Tão teso, tão teso que o nosso Presidente da Republica é, que se distancia das suas origens de modo a se manter imparcial na politica, e nada fez.

Afinal onde é que pára a sua "tesura", vêem prai os Klaus do mundo dizer que nosso pais é uma grande #$&%$# e não há ninguém que se imponha.
Já estou como o nosso Primeiríssimo o Sr. Eng.º Técnico José Sócrates Pinto de Sousa, "por amor de Deus"

Destruídas as escutas,

a mando deste senhor,


Nada se fica a saber em concreto do caso, mas como estamos em Portugal, e os Portugueses esquecem depressa, Sócrates será eleito novamente no próximo sufrágio, e este pais continuará a ser como sempre foi.

A dúvida é lixada

Quando me casei achei que podia muito bem viver sem empregada, afinal o dinheiro não sobrava por ai além e uma pessoa de vez em quando também tem direito a ser naif.

Com o passar do tempo e especialmente com o nascimento do meu niquinho, fui me apercebendo que o sistema de mandar passar a roupa fora e de sermos nós a nos matarmos para termos a casa impecável, era inviável, assim, procurámos, procurámos e encontramos uma pessoa que estava disposta a trabalhar para nós.

Essa pessoa foi-nos recomendada e trabalha em nossa casa há já algum tempo, e a verdade seja dita que essa ajuda tem-nos sido preciosa, e até ontem eu não tinha razões de queixa do seu trabalho ou comportamento.

Acho que não me estou a explicar bem, eu hoje também não tenho assim razão de queixa, mas fui juntando pequenos nadas que me criaram dúvidas. E a dúvida, a dúvida é lixada.

Não sei que hei-de pensar, sobre o cumprimento do horário, porque essa pessoa que trabalha para nós quis trabalhar à hora, e eu pago-lhe consoante às horas que faz, e eu cá acho que ela me anda a comer nas horas.

Ontem foi assim o culminar dos acontecimentos para instalar a dúvida de vez, é que eu tenho um porteiro, e por exemplo ele disse-me que ela ontem chegou a uma determinada hora e ela disse-me que chegou duas horas mais cedo do que ele apontou. Em quem hei-de acreditar!?!?!?

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Parece que o "trintão giro a valer da melhor amiga" se revelou.

Ao que tudo indica o "trintão giro a valer da melhor amiga", é um querido, ainda que ligeiramente chatito, o homem sabe-a toda, todinha.

Pagou o jantarinho e mandou msg's de boa noite querida, querida!!!

Espero que tenha futuro... nem que seja só como grande amigo*


* todos sabes que isso de ser grande amigo é conversa de chacha!

Adenda ao post de ontem à noite

O mais-que-tudo andava com uns problemas técnicos na entregada do nosso IRS, por causa desses mesmos problemas, ouvi hoje de manhã na rádio (sim eu já consigo ouvir rádio no carro, Yupi) que a Direcção Geral das Finanças prolongou o prazo até domingo dia 18 de Abril.

Mas adiante, como estava a dizer, devido a esses problemas informáticos o "meu trintão" que também é giro a valer, levantou-se às 5h00 da madrugada, hora a que se previa que a linha estivesse menos bloqueada para fazer a entrega do IRS e pôs-se no entretanto a ler o meu editorial, quando chega à caminha diz-me assim, "são para débeis mentais, mas tu vês não vês, e gostas não gostas?"

Meus senhores qual é o problema de se ver e gostar das novelas da SIC ainda que Portuguesas? De facto o argumento e a realização ainda ficam anos luz atrás de algumas brasileiras, mas e dai? Sim, explicai-me vós o porquê de tamanha admiração!!!

Vejo, pois vejo o Perfeito Coração, e comento ao telefone as cenas mais engraçadas com a minha Mamã, ora quem não vê o Perfeito Coração, para Viver a Vida que levante o dedinho.


quarta-feira, 14 de abril de 2010

Home Alone

O mais-que-tudo foi trabalhar, têm cá o boss e o desgraçado quer ver a iluminação em funcionamento da obra nova que esta quase, quase a terminar e assim cá estou eu home alone, com imensa dificuldade para decidir o que quero fazer esta noite.

O niquinho dorme profundamente, ainda agora fui ao seu quartinho e ressona esticado na cama, mãos para cima e rabinho espetado.
Na TV nada de jeito, a Leonor não é filha do Tomás nem do Humberto e ao que tudo indica a sua mãe era uma libertina, que mantinha ao mesmo tempo um envolvimento amoroso com pelo menos três homens.

De facto as novelas portuguesas (as da SIC, que as da TVI são mais que intragáveis, são indigestas) são novelas para débeis mentais, o raciocínio lógico é absolutamente nulo e qualquer individuo com um QI mais diminuto, acha estas histórias rebuscadas e sem sentido.

No entanto, posso sempre escapar ou para o telefone, ou para a blogesfera, com a Mamã já falei ainda nem à cinco minutos, também ela têm a TV ligada na Leonor e nos seus problemas de linhagem directa, gosta de ver os burburinhos e as confusões advindas do cabeleireiro Rosa&Luz e do atelier de arquitectura mais reconhecido de Lisboa; podia também ligar à melhor amiga, mas está num jantar pseudo-amoroso com um trintão giro a valer, engomadinho que só ele, mas com a mania que é um psicólogo intelectualmente capaz (não desprimorando os estimados leitores psicólogos, acho um bocadinho impossível que um psicólogo possa ser intelectualmente capaz, com tanta loucura que ouvem, ai mãe misericordiosa tenha piedade destas pobres alminhas que se dedicam a vida toda a tentar sanar o devaneio alheio), que a pica terrivelmente e que lhe dá ganas.
Mas para a melhor amiga, o trintão giro a valer não faz nada o seu género, não veste "calça vagabunda"*, não dá ares de descontraído com a vida e com os amigos e cá para nós é ligeiramente chato. Independentemente das qualidades do trintão da melhor amiga, acho melhor não ligar mais, tentei duas vezes e fui parar ao voice mail... será que ele deixou de ser chatinho ou será que mudou de pseudo-profissão.

Assim resta-me a blogesfera, e os blogs dos amigos....

- Interregno de meia hora no desenrolar do post - afinal o dormir profundamente da criança, foi refutado por um acordar em choro de fome, seguido de um biberão sôfrego.
Agora que voltei para terminar o post começa a minha novela preferida, e pronto, tenho de me render às evidencias e viver a vida.

*entendasse desmazelada

Zeinal - "Xi pá xou muita Portugalizado..."

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Os Porquês

Infelizmente são poucas as coisas neste mundo que não estão corrompidas, a integridade das pessoas é precisamente uma das maiores raridades que procuramos.

Aqui no escritório é tempo de avaliações e prémios de mérito, essas avaliações anteriormente eram apenas feitas com a chefe, no entanto como esta foi promovida a administradora, as mesmas passaram a ser feitas com a chefe e o antigo coordenador, agora ainda que não formalmente promovido a chefe.

Nessa mesma reunião, expressei a minha necessidade de fazer coisas novas e de ter tarefas definidas, não que seja difícil trabalhar em equipa, mas em todas as equipas existem tarefas, isto é como no futebol, eu não sou guarda-redes e avançado ao mesmo tempo, não dá.

No entanto, apesar da minha vontade de progredir ter sido expressa no lugar próprio para o efeito, honestamente e à frente de quem de direito, o meu coordenador, homem sem formação técnica, nem pessoal, que subiu a muito custo individual, não achou muita graça, e resolveu mostrar aquilo que sempre foi, um homem falso, rude, sem educação, ganancioso e mau colega.

As suas atitudes com os outros já o tinham denunciado à muito, mas as suas falinhas mansas tendiam a tapar-me os olhos e não me fazer crer do que via.

Entre outras coisas graves que se passaram, o Sr. mandou o departamento de informática, espionar, rastear e supervisionar, tudo o que faço no meu computador, seja mails, seja paginas de web, tudo, tudinho.

Sinto a minha vida devassada, contravinda, debochada, custa-me muito que além esteja ao fim do mês a olhar para um relatório sobre os meus passos, as minhas pesquisas, os meus comentários, as minhas contas bancárias, os meus email, e os meus blogs, caramba nos dias de hoje as nossas vidas passam pela net.

Legalmente sei que as empresas não o podem e eu até poderia por uma acção judicial sobre o caso, mas que provas apresento?

Este blog, tem conversa a mais para poder ser associado a mim, por pessoas mal intencionadas, o blog obviamente que está anónimo, mas a informática vê todos os post que eu faço, e eu não posso deixar nenhuma pedra no sapato.

Por isso este blog, e o meu baby blog, passaram a ser blogs fechados até que este assunto se resolva, se é que ele não se resolverá apenas quando me for embora desta empresa.

A minha vontade é essa mesma, ir embora da empresa muito rápido, fugir e não aparecer mais...

Júlio César sofreu mesmo um traumatismo craniano

Júlio César, o guarda-redes que ontem representou o Benfica, no jogo para a Taça Europa com o Liverpool, manifestou vontade de sair durante o jogo de ontem, queixando-se de falta de visão

Mas Jesus, o actual treinador, não se compadeceu e queria, porque queria que o jogador continuasse em campo.

Justiça seja feita a Júlio César que não se deixou levar por pressões e não quis continuar em campo porque não se sentia bem, não tinha condições de desempenhar com competência as funções que lhe tinham destinado, defender as redes da sua equipa.

Horas mais tarde, viria a confirmar-se um traumatismo craniano, sem consequências maiores, graças a retirada atempada do jogador de campo.

Resta-me deixar aqui um recado ao Jesus, que só aos 67 min, depois de estar a perder por 3-0 se lembrou de mexer na equipa, o treinador, de uma equipa é o seu líder primordial, e qualquer líder tem de zelar pela saúde e segurança dos seus seguidores.

Um treinador, não deve nunca forçar um jogador que se queixa a continuar em campo, por causa da equipa, porque equipa com jogador em más condições, é equipa enfraquecida.

Para além do que estar a arriscar a saúde de outro requer grandíssimas responsabilidades individuais.


quinta-feira, 8 de abril de 2010

Já agora a crónica da mesma Ana Gomes ao Sr. Dr. António Mexia

"Mexia - remexe connosco! "


Que topete! Que descaramento! Que imoralidade! - os do Dr. António Mexia, a dar-lhe com "os objectivos", ao ser confrontado pelos jornalistas sobre o estupor público suscitado pela soma faraónica que arrecadou nos últimos anos, com o indecoroso aval do accionista Estado, à conta dos consumidores da EDP, cujas tarifas foi aumentando.
Que estarrecedora insensibilidade - a do Primeiro Ministro, hoje ao lado de Mexia, todo elogios ao gestor, sem uma palavra de admoestação, a impôr moderação, a pedir contenção, semelhante à que pede ao povo.
Para aqueles a quem se impõem sacrificios, é juntar ofensa à ferida.
Remexemo-nos face aos mexias?

Ah, e a crónica da Ana Gomes à Carta de Sócrates ao Jornal Público

"Casas e cartas "

"Não gosto das revelações sobre as casas da Guarda atribuidas ao engenheiro técnico José Sócrates. Ainda gosto menos das casas, esteticamente penosas. Menos, menos ainda, só da carta de protesto que o PM José Socrates escreveu ao "Público" e em que assume a responsabilidade dos respectivos projectos. Será de engenheiro técnico. Não é de Primeiro Ministro."

E a resposta do Jornal Público à Carta de Sócrates

José Sócrates confirma projectos na Guarda mas nega ilegalidades


O primeiro-ministro confirmou ontem, na carta enviada à directora do PÚBLICO, ser o responsável por todos os projectos que estiveram na origem das notícias da edição de ontem referentes à sua actividade privada quando já era deputado em regime de exclusividade, entre 1988 e 1990. Sócrates considera que tal está "em conformidade com as normas legais de exclusividade em vigor", uma vez que diz ter feito os projectos "a pedido de amigos" e afirma não ter recebido qualquer remuneração.

Colocando a tónica na existência ou não de remuneração, e deixando de lado o argumento usado pelo primeiro-ministro em 2007 de que se tratava de uma actividade "muito residual", o primeiro-ministro remete para uma questão que não é consensual a nível jurídico.

À época dos factos, que é anterior ao actual Estatuto dos Deputados (elaborado em 1993 e já muitas vezes alterado), as dúvidas que envolviam o regime de exclusividade dos deputados, criado em 1988, levaram a Assembleia da República a pedir à Procuradoria-Geral da República (PGR) um parecer sobre esta matéria.

Esse parecer, datado de 1992 e homologado pelo Parlamento, afirma que aquele regime implica "a impossibilidade legal de desempenho de qualquer actividade profissional, pública ou privada". Admite, porém, que possa haver actividades permitidas excepcionalmente, remetendo, por analogia, para as permitidas noutras profissões com dedicação exclusiva, como as que implicam direitos de autor, realização de conferências, palestras e outras actividades análogas. Não existem, porém, referências à possibilidade de se exercer uma actividade não remunerada.

A questão da alegada gratuitidade dos serviços leva os dois juristas que o PÚBLICO ontem conseguiu contactar a considerar que José Sócrates não contrariou o parecer da PGR. O professor catedrático de Coimbra Vieira de Andrade diz que é preciso "ver caso a caso e, em primeiro lugar, verificar se não é uma actividade incompatível com o estatuto e função de deputado pelo princípio da imparcialidade, por exemplo". E desdramatiza: "Se é um caso de um pedido de amigos, de um projecto de engenharia que se faz à noite, nas horas vagas, não é incompatível com as funções de deputado."

E caso seja uma situação "de cuja remuneração abdique, então não é considerada uma actividade profissional", entende o lente de Coimbra, secundado por Tiago Duarte, professor da Faculdade de Direito da Universidade Nova de Lisboa. Este jurista realça, todavia, que "não é vulgar trabalhar sem receber", sobretudo nestas profissões técnicas, e "se se vier a verificar que recebeu dinheiro, então estava em incumprimento".

O parecer da PGR é de Janeiro de 1992 e, um mês e meio depois, o então deputado José Sócrates pediu aos serviços da Assembleia que lhe fosse pago o subsídio de dedicação exclusiva, com retroactivos, referentes aos períodos entre 15 de Outubro de 1988 e 31 de Dezembro de 1991.

A excepção foi o mês de Março de 1989. Nesse mês declarou ter recebido 475 euros por um projecto, explicou então, depois de questionado pelos serviços do Parlamento, embora ao PÚBLICO tenha dito em 2007 que o valor resultava de "acerto final de contas". Mas reconhecia que mantivera uma colaboração regular como responsável técnico de uma empresa de construção até 1989, embora tenha recebido o subsídio de exclusividade desde Outubro de 1988.

O assunto da exclusividade, que continua por esclarecer, não esgota porém as questões ontem noticiadas pelo PÚBLICO. Acerca das sucessivas e duras advertências que a Câmara da Guarda lhe dirigiu por causa da falta de rigor e cumprimento das regras técnicas e legais em muitos dos seus projectos, chegando a ameaçá-lo com "procedimento legal", Sócrates diz apenas: "Sempre cumpri os meus deveres e exigências profissionais, mesmo em caso de divergências ou discordâncias, que são próprias desta actividade, com as entidades administrativas competentes na apreciação e aprovação de projectos".

De fora do "esclarecimento" tornado público fica também o motivo que levou a câmara a afastar Sócrates da direcção de obras particulares, sem que ele ou o dono das obras o tenham requerido, depois de o ter repreendido por causa da forma como desempenhava as suas funções.


A Carta de Sócrates ao Jornal Público.

"À Direcção do Público

Sra. Directora

Prosseguindo a sua interessantíssima agenda jornalística, o Público regressa, de novo, ao final da década de 80, há mais de vinte anos, e aos projectos de minha autoria na Câmara Municipal da Guarda.

Reafirmo o que já várias vezes respondi ao Público: os projectos que refere na edição de hoje são da minha responsabilidade, foram elaborados a pedido de amigos e sem que eu tenha auferido qualquer tipo de remuneração. Repito: sem auferir qualquer remuneração, em conformidade, portanto, com as normas legais de exclusividade em vigor.

Aproveito ainda para esclarecer que sempre cumpri todos os meus deveres e exigências profissionais, mesmo em caso de divergências ou discordâncias, que são próprias desta actividade, com as entidades administrativas competentes na apreciação e aprovação de projectos.

Reitero o convite que já há dois anos fiz ao Público: este é talvez o momento para revisitarem as décadas de 70 e 60, período da minha juventude, onde não deixarão de encontrar uma qualquer história que, à luz dos vossos exigentíssimos critérios, vos permita continuar a fazer manchetes como a de hoje, que só confirma a opção doPúblico por uma linha editorial que desistiu da ambição de um jornalismo de referência.

Cumprimentos

Lisboa, 5 de Abril de 2010

José Sócrates"

Prémio de Mexia supostamente reduzido.

Pronto para calar a boca a esses invejosos peçonhentos, o Sr. Dr. António Mexia, não receberá este ano os 3.000.000 euros propostos, mas apenas 80% desse valor ou seja 2.400.000 euros.

No entanto o que se andam a esquecer de referir é que no terceiro ano de mandato o Sr. Dr. António Mexia, receberá 120% do prémio proposto ou seja 3.600.000 euros.

Apesar da média nacional de matemática em Portugal ser negativa, estas contas são fáceis de fazer, ora vejamos. No 1º ano, probrezinho só receberá 80% do prémio, mas no 2º ano, faz-se justiça ao seu magnifico trabalho de deixar a EDP mais do que endividada, quase falida e atribui-se os 100% do prémio, no 3º ano e como é fim de mandato receberá 120 % do prémio para nunca mais voltar. Assim no final do 3 ano recebeu na mesma os 100% do prémio proposto ou seja os 9.000.000 euros.

E pronto, calaram-se as vozes contestatárias e o Sr. Dr. António Mexia, vai contente e feliz comprar uma ilhazinha como os famosos de hollywood para gozar os seus 9.000.000 euros de prémio.

Sim prémio, porque de ordenado ele recebe 8.500 € por dia, mais num dia que muitos num ano. Ora vejamos, nada de contas complicadas, um trabalhador que ganhe 475 euros por mês, o ordenado mínimo nacional, ao fim de 14 meses amealhará 6.650 €, concluindo 8.500 > 6.650€. Assim sendo o Sr. Dr. António Mexia recebe mais 1.850€ por dia que muitos num ano.
Só para concluir este raciocino, quer fazer notar que 1.850€ a mais por dia que muitos num ano, é nada mais nada menos que quase quarto meses de trabalho de muitos. Outra continha simples 1.850 €/475€ =3.89.

Ham? Que tal? Também querem o lugar do Mexia?!?! Querem!?!?
Não percebem que não está à disposição!!! O seu nome diz tudo Mexia, já não mexe....

Ficará para sempre a "roubar" os Portugueses.

Falando em tom sério, e sem jocosidades que o caso é obsceno demais para isso, este senhor já deveria ter sido demitido, assim que entrou na EDP e se auto-aumentou 118%.

Mas não a cultura do "já me safei" esta completamente enraizada e estes bandalhos que ocupam lugares de governo, presidentes de empresas semi-publicas, institutos públicos, empresas municipais e por ai a fora, "vão se safando" ora de um lado, ora de outro, e completando ordenados imorais e sem princípios, e amaxucando e afrontando os Portugueses que acordam todos os dias bem cedo, para trabalharem no duro, sem condições, e trazerem para casa 475 miseráveis euros, e pagarem renda de casa, água, luz, gás, alimentação, escolas, e saúde, Portugueses que não podem viver, porque o dinheiro não chega para o básico, quanto mais para ir ler um livro.

Tudo isto me revolta, me dá náuseas e vómitos, toda esta imoralidade este nojo, de gente medíocre, bandalha e repugnante.

A Vergonha dos Parquímetros

Portugal é uma vergonha, mas ainda existem alguns Portugueses que se indignam e se manifestam, pela justiça e verdade.

É o caso de José Ventura, que enviou uma reportagem fotográfica para o expresso, escancarando para quem quiser ler, a dualidade de critérios da EMEL (empresa publica, gerida por uma série de boys, tal como todas as empresas municipais e institutos públicos, que o único curriculum válido que apresentam é trabalhar para o estado.)

Eu também já fui multada naquela rua, apesar de ter o ticket válido e visível no tablie do carro, fui multada pela ganância destes administradores ladrões, que instruem os funcionários da EMEL, a multar tudo e todos. Na altura tinha um smart e estacionei o carro, num lugar de estacionamento, devidamente identificado com marcas no chão e sinal vertical, só que estacionei o carro na vertical. Lembro-me bem desse dia, ia fazer uma ecografia, para ver o meu niquinho, e quando voltei com o mais-que-tudo, não tinha carro, foram 90 euros de reboque e 30 euros de multa para poder levantar o carro do parque municipal, e só depois podia reclamar.

Bom, ficam aqui as fotos, que provam e divulgam mais uma barbaridade cometida por este senhores.




Nota: Estão a ver o primeiro lugar de estacionamento imediatamente a seguir à primeira árvore que aparece na foto? Pois era ai que estava o meu smart. Bem estacionado!!! Logo à frente o carro do meu marido, o que me valeu, pois na altura estava gravida de 5 ou 6 meses.










designed by Charming Templates