quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Confrontos em Londres

Ninguém tem uma justificação lógica para explicar o porquê destes motins, confrontos e pilhagens, ninguém no entanto, quando fala do assunto exclui as palavras revolta e desigualdades, serão estas no entanto suficientes para justificar os distúrbios que se vivem em várias cidades Inglesas?

Não falamos só de Londres, falamos de Liverpool, Birmingham, Manchester, Bristrol Nottingham, Woverhampton, West Bromwich e Gloucester, a somar a uma série de pequenas localidades onde os incêndios e os assaltos são complementos das últimas noites.

Em algumas destas zonas, as próprias populações lutam contra a delinquência e tentam proteger os seus bairros, fazendo justiça popular, acusam a policia de não se esforçar e reagir lentamente aos supostos protestos, a verdade é que a policia recebeu directrizes para reagir aos crimes consoante a etnia dos criminosos, uma vergonha que mais indicia a bomba relógio que a Europa se está a tornar.

Existe uma outra versão, diferente do que sai na comunicação social, nomeadamente de uma Portuguesa que vive em Londres, segundo esta, os distúrbios estão a ser provocados por adolescentes marginais que apenas acham que é "cool" serem mauzões, e se manterem dentro dos gangs a que pertencem.

Independentemente do porquê e de quem quer que seja que tenha provocado todos estes crimes, há já alguns dias que o Exercito deveria ter sido chamado a intervir e a lei de recolha obrigatória imposta até a situação estar controlada, os criminosos/delinquentes presos e julgados rapidamente.

Cada vez mais surgem situações pontuais de "loucura" num Europa aparentemente calma, a verdade é que  caminhamos para o abismo da sociedade anárquica e não existe esperança de alguém que possa re-ordenar as ruas e a vida das populações.


quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Máquina de fazer gelados


Andei a namorar umas maquinetas de fazer gelados durante uns diazinhos, à partida pode parecer um namoro curto, mas tendo em conta que durante 5 dias não tirei a ideia da cabeça, e matutei constantemente na coisa, e no mais-que-tudo, e na mãe e até cheguei a pedir o bicho como presente de aniversário, parece-me que podia ter sido um caso sério de internamento.

Eu procurei exemplares na Worten, no Media Market, na Pixmania, eu andei nos sites da Fagor e da Krups, mas apesar de não serem um disparate de preço, o certo é que não me estava a apetecer dar cerca de 50€ por uma maquineta de gelar gelados, estranho?

Passo a explicar, os gelados são a coisa mais fácil de se fazer, é bater a fruta, o leite ou as natas, os ovos, ou o chocolate, enfim, fazer um preparado com ingredientes a gosto, a complicação é somente quando pomos aquele preparado maravilhoso, num tupperware próprio para o congelador, e aguardamos ansiosamente para  que não se transforme num saboroso bloco de gelo.
A coisa intrigava-me, em casa haviam até opiniões de que deveria haver um ingrediente qualquer que se adicionava ao preparado e que o impedia de congelar, chamavam-no de "anti-congelante", mas apesar de tanta sabedoria o meu rico papá não sabiam bem indicar qual.
Pesquisei bastante sobre o tema dos gelados caseiros, e descobrir, nada mais nada mesmo que: para ficarem cremosos apenas tem de ser mexidos enquanto congelam.

Pois e perguntam-me vós, qual a melhor forma de o fazer? É mesmo ter uma máquina de fazer gelados!!!
A bichinha durante 40 minutos mexe o delicioso preparado enquanto este congela, e como tal o mesmo não ganha os aflitivos cristais de gelo.

Doidivanas que só eu, e fervorosa adepta de geladinho e coisas doces e boas, tinha que ter  uma, forreta e com o aniversário a mais de um mês heis que sou surpreendida com uma maravilhosa campanha do LIDL e ontem trouxe para casa a MINHA "macchine del gelatos" de uma qualquer marca italiana, que faz as mesmíssimas vezes que as outras e apenas custou 24,99€.

E hoje eu sou uma mulher ainda mais contenta!!!

3# Quando for grande, também quero

Deixar de olhar só para o site e ir a Londres e largar umas massas aqui!!!

Biggest Loser em Portugal

Somos um pais com um dimensional de mercado de televisão e publicidade, mais de 100 vezes inferior ao Americano, no entanto conseguimos fazer do nosso Biggest Loser um programa com 6 emissões semanais.
Exploramos até à exaustão todos os momentos, todas as choradeiras e gritarias, distorcemos o fundamento e as regras do jogo original, mas mesmo assim o programa conseguiu um nível de audiência brutal, parece-me que os americanos tem muito que aprender connosco!!!


Ah e os concorrentes perderam alguns kilos, em média muito menos que o Biggest Loser Americano, mas também who cares, o nosso objectivo não era esse!!!

"Super-ministro" explica super salário da sua "super-chefe de gabinete"



É o que é!!!
E a verdade é que ao fim de um mês o balanço é mais pros gastos que para as poupanças.
designed by Charming Templates