12 de julho de 2018

Letizia 20 anos depois

julho 12, 2018 0 Comments
Quando a Casa Real Espanhol anunciou o noivado do Principe Filipe e de Letizia Ortiz, o mundo foi unânime em percepcionar a personalidade decidida daquela que anos mais tarde se tornaria Rainha Espanhola.

Foi muito falado em todos os jornais do mundo a forma como Letizia interrompeu o então Principe Filipe e disse que queria falar.

Apesar de mostrar alguma pressão, mostrava-se mais preocupada em mostrar ao mundo que queria ser falada pela sua personalidade, pelas suas opiniões, pela sua cultura, algo que iria fugir ao estilo cliché das princesas europeias, que tem os seus looks inspeccionados ao detalhe.

Tornou-se inspiradora para todas as mulheres e até adorada pelas feministas, Letizia parecia a voz contra todos os preconceitos de que as mulheres são seguidoras dos homens.

Era jovial, com um ar alegre, foi ao longo dos anos, aperfeiçoando a sua nova profissão. Apesar de não ter crescido no meio real, hoje Letizia tem apreendido, todos os modos, a sua apresentação é irrepreensível, mas as suas intenções de ser noticia pelas suas ações foram-se perdendo ao longo destes anos.

Letizia, em 2008, submetesse à sua primeira cirurgia plástica, explicada pela Casa Real, como uma intervenção que corrigiria problemas respiratórios.

Hoje volvidos 20 anos do seu casamento, olho para Letizia e vejo uma mulher que perdeu a guerra, contra a poderosa industria fashionista, que rotula, cataloga e obriga, as mulheres a preocuparem-se em demasia com os "looks". Hoje em dia Letizia é falada pelas suas cirurgias plásticas, as suas clutchs e pouco mais.


10 de julho de 2018

Ekkapol Chanthawong

julho 10, 2018 0 Comments

Um treinador auxiliar do um clube tailandês, o Wild Boars, levou a equipa de futebolistas juvenis que treinava numa viagem de aventura à gruta de Tham Luang. Acompanhado de 12 crianças com idades entre os 11 e os 16 anos, ficaram presos numa das mais perigosas grutas da Tailândia.

Chanthawong, perdeu a sua família em tenra idade e om apenas 13 anos ingressou num templo budista, depois

Hoje se tudo correr bem, e com a graça de Deus, o terror que esta viagem se tornou acabará e tanto o treinador quantos as crianças, estarão a salvo.

Passaram, nove dias perdidos, sem que ninguém soubesse o que lhes tinha acontecido naquela viagem. Desapareceram dizia-se!!!
Quando finalmente um grupo de mergulhadores os descobriu presos numa gruta, ainda tiveram de passar mais 13 dias até se iniciar a missão de resgate, com fome, frio, sem luz e com pouquíssimo oxigénio.




A impressa Tailandesa chegou a falar na eventual acusação de crime ao treinador, contudo depois do primeiro contacto com os jovens, percebeu-se que a mensagem, o ânimo e a fé daquelas crianças em poderem salvar-se estava a ser tratado de uma forma brilhante por este jovem de 25 anos, o porta-voz do governo diz que "Ele tem-lhe aconselhado a permanecerem deitados para pouparem energia, bem como a tentarem a meditação para se manterem conscientes e o foco, impedindo a mente de divagar".

Depois temos também a história generosa de um médico e três navy seals que desde que os encontraram ficaram na gruta com as crianças até estas serem resgatadas.

Todas estas histórias tem momentos trágicos, e a morte de um mergulhador durante este resgate tem sido proclamada de heróica pelo mundo.

Gosto de acreditar que neste altruísmo puro e genuíno, nesta generosidade e desapego à própria vida para salvar outros.
Quero acreditar que apesar de todas as noticias doente que diariamente lemos, estas, as boas nos trazem ainda muita esperança na humanidade.

5 de julho de 2018

Só quando a última pessoa que se lembra de nós morrer!

julho 05, 2018 0 Comments
Hoje fazia anos o meu avô, marido da minha avó mais querida, também ele o meu avô mais querido.

Li algures, que " Todos vivemos até ao dia em que morre a última pessoa que se lembra de nós, e só quando essa pessoa morrer é que morreremos em definitivo".

Por isto, partilho com os meus filhos histórias sobre os bisavós mais queridos que podiam ter tido, e que apenas o mais velho conheceu uma. partilho com eles na esperança que um dia também eles falem dos seus bisavós e que esta transposição de gerações perpétue a memória dos meus avós mais queridos.