Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2008

Ajuda ao Governo,

A nossa nova Ministra da Saúde, será julgada pelo Tribunal de Contas, para apurar se tem ou não responsabilidade financeira no pagamento indevido de 80 milhões de euros do estado ao Grupo Mello, enquanto entidade gestora do Hospital Amadora-Sintra.

Em 2003 o Estado (entenda-se governo em exercício) exigia 3,5 milhões de euros a Ana Jorge, a actual Ministra da Saúde, que estava na altura dos pagamentos indevidos à frente da Administração Regional de Saúde de Lisboa.



Subsitituições, Remodelações ou serão antes Atrapalhações

Ontem foi dia do nosso Primeiríssimo substituir três membros da sua equipe de governo, pois ao que parece, o nosso Primeiríssimo não estaria nada satisfeito com o rumo que as políticas, dos visados estariam a levar, assim, Correia de Campos foi substituído por Ana Jorge, também consta que a Ministra da Cultura e um Secretário de Estado de qualquer coisa também foram substituídos, mas para mim isso é mais uma manobra de diversão que outra coisa.
Ora pois então, o nosso Primeiríssimo, apercebeu-se que o seu assessor de imagem tinha ido numa viagem e que afinal as manifestações de desagrado dos Portugueses, não eram só fitas, e podiam mesmo abanar a sua segunda eleição como Primeiríssimo do nosso país, desta forma resolveu proceder a uma remodelação profunda da sua equipe de governo e substituir quem estava a minar a imagem de santo que carrega desde o dia em que tomou posse.
Como as coisas estavam a ficar negras na matéria da saúde, com Bombeiros e INE a começarem a levantar questões e ap…

"Comigo isso não resulta"

As chamadas de atenção dos Portugueses são interpretadas como fitas pelo nosso primeiríssimo, afinal de contas à mais de trinta anos que as pessoas só organizam manifestações, para aparecerem na televisão.

Mas por onde anda o assistente de imagem do nosso primeiríssimo? Perdeu-se? Valha-nos a Santa Paciência

Podem ver tudo com detalhes aqui

Empáfia sem tamanho,

No Jornal da Noite, de Sábado 26, da Sic, o Ministro da Saúde deu uma entrevista que à muito ansiava dar à Sic, e conversou ou melhor será dizer monopolizou a conversa que deveria ter tido com a Sra. Jornalista Conceição Lino (designação atribuída pelo próprio durante a entrevista).

Bom, eu não quero alongar-me porque as imagens valem por si só, apenas quero acrescentar que apesar de quem viu a entrevista percebeu perfeitamente a inconsistência do discurso do Sr. Ministro, a total arrogância e a constante empáfia.

Se eu tivesse assim...

1094,54 €,
e não soubesse o que lhes fazer...
levava o meu menino nesta viagem, como presente de São Valentino!!!

(e eu que nunca fui destas foleiradas , ao que uma pessoa chega só para ir dar uma voltinha a Nova Iorque)

As coisas que eu aprendo

Ando viciada em pratos culinários com estes deliciosos fungos comestíveis.

(De notar que ainda não aprendi o suficiente para saber distinguir, os comestíveis dos venenosos)

Pressão dos Juros

Os EUA, contrariaram todas as expectativas e baixaram o preço do dinheiro em 75 pontos passando as taxas de juro para 3,50%, tornando-se esta uma das primeira medidas tomadas pelo FED para combater a grave crise que atravessam.
Esta decisão em termos económicos produzirá efeitos a curto prazo, que alias já se fizeram notar na recuperação das bolsas Europeias e de Nova Iorque, no entanto, existe uma questão essencial, à qual a maioria dos economistas se mantêm atentos, que se relaciona com a saúde económica do EUA, uma vez que estas alterações combativas à crise económica, podem significar que no médio prazo uma recessão inevitável.
A existência de uma recessão, traduzir-se-á inevitavelmente, não num aumento pequeno, mas um declínio da taxa de crescimento, não numa estagnação mas infelizmente num perido em que se verificará uma redução da qualidade de vida já que os motores dessa qualidade de vida diminuem: produção e trabalho. A nível das empresas uma recessão implica uma diminuição d…

O Snoopy tem sempre razão

Ofício-Circulado nº30.088

O Oficio-Circulado nº30.088 é um oficio da direcção geral de impostos datado de 2006 que esclaresse a aplicação do código do IVA aos ginásios.
Desde 2002 que o Holmes Place andava a tentar "clarificar o texto da Lei e alargar o âmbito de aplicação" do Iva de 21% para 5% para tal "intercedeu junto do Estado Português para que confirmasse o seu entendimento".
O estado português em 2006 clarificou o Holmes Place através do dito Oficio-Circulado nº30.088 "regulamentaram o assunto com carácter geral, e de forma insatisfatória para a Holmes Place (Ofício-Circulado nº30.088)".
De acordo com o jurista da Associação Portuguesa para a Defesa dos Consumidores (DECO), Paulo Fonseca, "poderá estar a existir um aproveitamento da descida do IVA para um aumento de preços dos serviços prestados".
Para o jurista, caso se venha a confirmar esta realidade o consumidor estará perante uma "situação abusiva que viola o contrato celebrado".
Paulo Fonseca explica …

5% de IVA ou Ingrupanço?

Como sou uma menina, muito atinadinha, muito pró saúde e bem estar fisíco, estou à algum tempo inscrita num ginásio.
Apesar de a minha comparência no mesmo, não ser das mais assíduas, a minha mensalidade pinga na conta do ginásio todos os meses, certinha certinha.
As preocupações com a saúde das populações em geral, foi também uma preocupação deste governo (até parece mentira) que decidiu reduzir a taxa de imposto de iva de 21% para 5%, tentando facilitar deste modo o acesso a este tipo de práticas para todos os portugueses, (boas intenções, mas de boas intenções, como é que era o ditado? Estava qualquer coisa cheia, não era assim?)
Bom não nos desviemos!
Ora, estava eu a dizer que agora os ginásios só podem cobrar 5% de iva, mas o ginásio onde treino, ou melhor devia treinar, ok, ok,... eu reformulo a frase, o ginásio que pago não reduziu os preços das mensalidades.
Diz o Holmes Place que antes já pagava somente 5% de iva ao estado,... mas o Holmes Place é diferente dos outros ginásios p…

A Câmara de Lisboa

Aborrecimentos

A gripe que me tirou de circulação por dois dias foi menos desastrosa para este blog que o trabalho que me acompanha neste momento.
Rodeada por workaholics, vivo a pressão diaria dos compromissos perfeitos tomados por outros, que não percebem que eu não sou uma workaholic e o que o meu trabalho significa para mim é de facto muito importante mas por apenas 8h por dia, de resto tenho marido, pais, família e amigos, em suma tenho uma vida que amo, e que vai muito para além do profissional.

Este tema das imposições não legais mas totalmente instituídas, da não liberdade de horários é frequente neste blog, tanto quanto a sua frequência se revela na minha própria vida.

Gostava que o meu dia fosse assim,

Cheio de esperança, intuição, e com muitas ajudas inesperadas. Em que todos os meus desejos se concretizassem!

Será uma Miragem?

Parece que vai haver mais qualquer coisa que não só deserto para lá do Tejo.

Ouvi dizer que iam construir o novo aeroporto de Lisboa em Alcochete.

Bom, mas como a obra ainda não está concluida, vou esperar para ver se se trata ou não de uma miragem.

30 Km/h

Este é o número que está a ser pensado por um grupo de estudo com grande capacidades reconhecidas no mundo inteiro, para se tornar o novo limite de velocidade nas localidades portuguesas.
O governo em executivo considera uma questão fundamental a segurança nas estradas portuguesas, como tal criou um grupo de trabalho constítuido por estruturas como a Estradas de Portugal, Governos Civis e Associação Nacional de Municípios Portugueses, sendo que uma das medidas propostas, mas que felizmente ainda se encontra em estudo, é alterar o limite de velocidade dentro das localidades 50 Km/h para 30 Km/h.
Ora se esta coisa for avante compro uma mula, e poupo um dinheirão, pois não pago impostos, não pago parquimetros e certamente que a palha é mais barata que a gasolina.

Ausência forçada por dois dias

Pobrezinho

O nosso "Soquinhas" viu-se mais uma vez entre a espada e a parede, numa encruzilhada dura da vida, ficou mesmo sem saída o pobrezinho e não vai poder cumprir uma das suas promessas eleitorais.

Ele queria, sério que queria, mas não pode, não pode mesmo, são as pressões.

- Quê, as atmosféricas?
Não! Se fossem essas estávamos nós bem, parece que andam por ai uns malandros capazes de tal façanhas que conseguem pressionar e assim alterar as promessas e decisões do nosso “Soquinhas”.

- Malvados, é isso que eles são, uns malvados. - Pobrezinho, até mete dó.

As Benevolentes

As Benevolentes, do norte-americano Jonathan Littell é o novo sucesso literário do mundo, com cerca de 700 000 exemplares vendidos em França e com uma edição já esgotada em Portugal em apenas duas semanas, este livro de 900 páginas avizinhasse como o sucessor do campeão de vendas "Código Da Vinci" de David Brown.

Com um dos prémios literários mais prestigiados de França ganho, o Goncourt, esta obra literária, que conquistou os leitores de todos os tipos, agrega sentimentos maléficos, tendo sido mesmo considerado por Pedro Sobral um dos directores da Dom Quixote, como um “livro maldito”.

Narra em primeira pessoa, as memórias de um ex-oficial Nazi, homossexual e bem sucedido homem de negócios, que não demonstra qualquer arrependimento, pelas desumanidades cometidas durante o Holocausto.

Irmãos humanos, deixem-me contar-vos como foi que se passou”, é o inicio das Benevolentes, e apresenta trechos como “Se nasceram num país ou numa época em que não só ninguém aparece para matar as…

Call Girl

É triste olhar para as opções do Cinema Português, e perceber que os bons tempos já passaram, tempos em que o Cinema Português prestava para alguma coisa.

É que de alguns bons anos para cá, mais ou menos desde o 25 de Abril de 74, que em na maioria dos filmes as falas dos personagens, tem de conter em cada 5 palavras 7 asneiras.

Haja paciência!!!

Sinceramente, não sei como o Call Girl pode já ter sido visto por tanta gente, com diálogos como este:
“- Pensei que as p**as não beijavam na boca. - Há sempre um c*br** que nos obriga a fugir à regra.”
Se é só pelo belo corpinho da Soraia, mas valia esperar que passasse na televisão, pelo menos assim pode desligar-se o som.

Cinematograficamente

Durante estes pouquíssimos dias de férias, entre outras coisas, pus em dia não só a minha leitura, mas também as minhas actividades cinematográficas.

Entre cinema e DVD’s vi uma série, de séries e filmes que durante o resto do ano, ou seja aquele em que trabalho à séria, não tenho oportunidade de ver.

Como a questão dos direitos de autor, porque lutam os argumentista do mundo inteiro, está longe de ser resolvida, e portanto ainda não saíram mais episódios de Dr. House a minha série preferida do momento, tive de investir em novas séries, como a segunda temporada de Robin Hood da BBC, a primeira temporada de Big Shot uma série da ABC, que recomendo vivamente, com personagens muito interessantes interpretadas por, Michael Vartan, e Dylan McDermott entre outros.



Estive muito embrenhada, também a ver alguns episódios que estavam gravados à muito do Prison Break, assim devorei do quarto ao oitavo episódio… e aguardo ansiosamente pelo próximo 14 de Janeiro, dia em que serão retomados os episód…

Bom...

... Cá estou eu para mais 366 dias!