12 de novembro de 2018

Os privilégios das classes profissionais

novembro 12, 2018 0 Comments
Tenho uma convicção profunda que muitos dos problemas da sociedade portuguesa terminariam se algumas classes profissionais deixassem de ter privilégios face a todas as outras.

Não quero dar asas a acusações de generalismo, pelo que deixo a ressalva, lógica para mim, que existem naturalmente grandes profissionais em todas as categorias, contudo, existem pelo menos três que diariamente confirmam esta minha convicção.

Vejamos, professores, médicos e juízes, tem por norma a percepção de que nunca erram, tem uma dificuldade imensa, em justificar-se perante a sociedade, não vi dois que estudassem pelos mesmos livres, todos embarcam em múltiplas corrente/praticas.

Pois, professores que lutam em greves pela não avaliação e pela progressão automática das carreiras sem mérito, apenas pela antiguidade; médicos que não esperam por doentes, e pouco admitem que nas consultas se exija justificações para as praticas que receitam e juízes acima do bem e do mal.



9 de novembro de 2018

29 Anos Pós Queda de Muro de Berlim

novembro 09, 2018 0 Comments

As controvérsias da história sobre o responsável pela construção do Muro de Berlim em 1961, ainda hoje não estão totalmente dissipadas, a dúvida dívida a responsabilidade entre Walter Ulbricht e Nikita Khrushchev.

Mas os factos sobre a sua construção de 165,7 km de separação de uma nação única, são inegáveis, e trouxeram consequências para toda a Europa, tornando-se um marco importantíssimo na história recente da humanidade.

As fronteiras das "duas alemanhas" estavam fechadas, e não era possível atravessar livremente no pais oriental para o ocidental e vise versa.
Morreram cerca de 100 pessoas a tentarem atravessar o muro, muitos só procuravam reunir-se com os familiares, mas a grande maioria procurava uma vida diferente.

Esta barreira física é um símbolo da guerra fria que se verificou pós 2ª guerra mundial, e das tensões sociais e politicas que se viveram nesse período conturbado. Nasceram "duas alemanhas" a Republica Democrata Alemã, constituída pelos países socialista do regime soviético, e a Republica Federa Alemã constituída pelos USA, Reino Unido e França.



Na altura o argumento usado para a construção do Muro de Berlim era a proteção das politicas da fracções que ajudavam a reconstruir a Alemanha, se uns queriam proteger um estado capitalista outros anunciavam que os fascistas punham em causa a vontade de nascer um estado socialista. Mas na realidade o muro foi construído para evitar a migração em massa que marcou a Alemanha do leste durante o período do pós 2º Guerra Mundial, e ambas as "Republicas" pretendiam parar esses crescente fluxo populacional.

Vinte e nove anos depois da queda do muro e consequentemente pós guerra fria, e notório que os regimes políticos europeus tendem para o capitalismo sendo poucos os pais a praticar o socialismo puro estreito ao soviético. A estabilidade económica é evidente, no entanto, e deixo a pergunta sem resposta, atingimos um nível de vida social humano e digno para todos os Europeus?

Custa-me ver, que existem muitos Muros de Berlim, por derrubar ainda. Existem muitos que ainda são oprimidos e reprimidos, nas mais variadas circunstancias da vida.





8 de novembro de 2018

Na dúvida, escolha o silêncio!

novembro 08, 2018 0 Comments

Hoje encontrei esta imagem num comentário de facebook. Guardei e refleti antes de postar...

Acho que se conta pelos dedos da mão direitas as vezes em que me calei. As injustiças mexem comigo, e sejam elas com quem forem, mesmo com aqueles que não me dizem nada o meu sistema bloqueia se eu assobiar para o lado.

Hoje quando li isto, reflecti, e enquadrei num contexto completamente diferente!!! Num contexto de discórdia, e de fato nesses momentos o silencio é de ouro.

5 de novembro de 2018

Count Down to Christmas

novembro 05, 2018 0 Comments


Gosto tanto do Natal!
 Houve fases em que me sentia obrigada, mas cada vez mais gosto do Natal!!!

Gosto da época religiosa, da mensagem de amor, esperança e salvação!


Mas gosto também de todo o espírito de harmonia que se vive nas famílias.